top 3 (a 1)

Salve salve as rainhas do rádio! (desta vez a saudação é mais que apropriada)

como músico independente - dependente portanto da brodagem (i. e. camaradagem, conchavos, panelas, boca-a-boca, etc.) - estou sempre ouvindo coisas novas, e trocando indicações com adeptos de diversas correntes (obrigado camaradas!).

afinal, do mato da rádio-e-tv dificilmente sai coelho novo...

---

este post - 100% musical! - é fruto e parte desse maravilhoso intercâmbio: uma mini-parada de sucessos, com 3 top hits do momento aqui do meu computador, e 1 música minha pra contrabalançar...

primeiro os 3:

1. o CAp caiu - com dois geniais mcs capianos não-identificados (e um sample especialíssimo do mc Morais. o Vinícius de.)

[world trade center, dadaísmo, Vinícius de Morais, Sérgio Naya, funk carioca]

2. a jabuticaca - com Neísa, a Pantera das Coroas

[Seria pornografia o que a pacata jornalista Bel Butcher estava tocando em plena Vejinha?!]

3. assassino - com Tony da gatorra

[Kraftwerk com Daminhão Experiênça?! Tony da gatorra é um absurdo]

e em seguida o 1:

1. no carnaval - com Dimitri BR e Graziela Grise (e Barão quebrando um galho no pandeiro)

[samba espacial, duetos vocais menino-e-menina, e gravações experimentais; arranjo inusitado para esta música do 3a1]

---

[OBS: para ouvir as músicas 1 e 2, basta clicar nos títulos; para ouvir 'assassino' e 'no carnaval', basta clicar no título e, já na página do artista (que vai abrir), clicar em 'streaming'. humdeabril tutoriais :]

---

detalhes sobre as 3:

1. o CAp caiu - com dois geniais mcs capianos não-identificados e um sample especialíssimo do mc Morais. o Vinícius de.

pra quem não sabe, tive o privilégio de passar boa parte de minha vida acadêmica no CAp da UFRJ. um colégio excelente em muitos sentidos - inclusive o de levar aos alunos, às vezes inadvertidamente, a conhecer a difícil situação das instituições públicas de ensino do país...

uma dessas 'aulas práticas' inadvertidas aconteceu recentemente, quando parte do prédio onde o Cap é hóspede - pois o colégio não tem sede própria, e ocupa uma escola 'cedida' pelo município - desabou, literalmente.

o caso é grave mas o aluno do CAp é capaz de reprocessar até a desgraça, e fazer sua crítica na mais bem-humorada e coerente sacanagem. tem world trade center, dadaísmo, Vinícius de Morais, Sérgio Naya, funk carioca... é ouvir pra crer. e rir!

2. a jabuticaca - com Neísa, a Pantera das Coroas

minha amiga Bel Butcher me passou esta, que a fez passar por um aperto: acontece que ela ligou o som alto em pleno local de trabalho, justo numa das partes 'comprometedoras' da letra! Seria pornografia o que a pacata jornalista Bel Butcher estava tocando em plena Vejinha?!

como constatei com meu querido parceiro Puga, o interessante das músicas ditas de 'duplo sentido' é que o sentido supostamente oculto é tão absurdamente escancarado, que o 'duplo' acaba sendo o sentido literal das palavras, mesmo.

mas ainda assim - ou justamente por isso - o gênero do duplo sentido é uma instituição nacional. logo, é claro que não demorou para que toda a redação da Vejinha estivesse cantando com Bel o irresistível refrão. ouça e cante você também!

3. assassino - com Tony da gatorra

que dizer de um cara que inventou seu próprio instrumento? e toca unicamente este ? e se o tal negócio se chamar gatorra, e for um misto de bateria eletrônica com sequencer, em formato guitarróide?!

Tony da Gatorra é um absurdo. Florencia sacou bem uma conexão com Kraftwerk e José Cláudio. acrescente-se Daminhão Experiênça ao mix, e acho que já deu pra definir bem o som.

ou ouça, que é mais fácil. recomendei 'assassino', mas vale ouvir todas!

...e sobre a 1:

1. no carnaval - com Dimitri BR e Graziela Grise (e Barão quebrando um galho no pandeiro)

desencavei esta gravação fazendo uma limpeza aqui no estúdio (estúdio caseiro, malabarismos com o espaço...); acho que foi a primeira coisa com mais de um instrumento que eu gravei no meu querido Kenji - daí a tosqueira : ]

a Graziela e o Barão (um conhecido de São Paulo que estava abrigado aqui em casa) gravaram voz e pandeiro, respectivamente, na urgência, pois eu queria incluir a gravação num cd que fiz para a Fátima.

postei ela como muito pela curiosidade: acontece que 'no carnaval' faz parte do repertório do 3a1 - num arranjo bem diferente, como quem ouvir poderá constatar... este é pra quem curte samba espacial, duetos vocais menino-e-menina, e gravações experimentais - digo, toscas mesmo!

---

boas audições

e beijos paratodos

(depois digam aqui nos comentários o que acharam das canções!)

2 comentários:

Graziela disse...

Mal ou bem
Bem ou mal
A gravação de No Carnaval é legal

Beijinhos!

blogbel disse...

Putz, você não vai acreditar. Parece que a Jaboticaba entrou na minha vida para arruinar com a minha imagem! Outro dia fui ver como andava seu blog e encontrei o link para a Neísa. E, como não tinha ouvido a música toda, resolvi clicar. Erro meu. Não sei como, mas a Tânia, que estava conversando no telefone começou a ouvir a música, dentro do telefone!!!!!! E ela estava falando com o orientador dela! Ainda não entendi como a música no computador pôde ser ouvida por ela pelo telefone! Mó-mico! Nunca mais ouço a Jaboticaba. Traumatizou duas!vezes. Pas possible!